OCA e Coletivo da Cidade lançam “Mapa do Brincar” da Estrutural

OCA e Coletivo da Cidade lançam “Mapa do Brincar” da Estrutural

O Coletivo da Cidade e o Observatório da Criança e Adolescente (OCA) lançaram no último sábado, dia 28 de outubro, o Mapa do Brincar e o Manifesto dos Brincantes na Festa das Crianças que ocorreu no espaço do projeto. Ambos estão dentro do 8º Boletim Voz da Quebrada que também foi lançado no evento.

A Ideia do Mapa do Brincar foi a de identificar e avaliar alguns pontos da Cidade Estrutural destinado às crianças e adolescentes para brincadeiras no cotidiano. Assim, no final do processo, que levou algumas semanas, as crianças marcaram seis locais da cidade, descrevendo-os em seus pontos positivos e negativos.

A Festa das Crianças no sábado tornou pública toda esta produção. Alguns convidados estiveram presentes, como integrantes dos Projetos “Como pode um peixe vivo” e “Onda”, parceiros do Observatório, do Coletivo e do Inesc.

Durante a atividade foi declamado o Manifesto em forma de poema “Pelo direito de brincar e ser criança”. Segue abaixo o texto:

Nossas demandas

Me deixe brincar!

Me deixe brincar, sem brincar eu não respiro
Brincando eu aprendo, apreendo, cresço, desenvolvo, humanizo,
Me deixe brincar!

Me deixe ser infância, que sem ela, o que farei eu?
Eu vivo na brincadeira,
Me organizo,
Fortaleço,
Me conecto,
Humanizo!

Eu tenho alegria, criatividade, imaginação
Sou curumim, menina, menino, moleque, moleca, travessa, sapeca
Pés de vento, asas de borboletas, cocares, luares
Pique corrente, pique esconde, futebol e queimada…

O calor do abraço, a luz de um encontro,
Lápis de cor, canção de ninar, o faz de conta
Eu tenho inocência e a ciência de priorizar o brincar,
Todas as alegrias em minha companhia
Jesus já foi criança, eu sigo sendo…
O espelho me contou!

E jamais deixarei de ser, hoje me apresento em cerca de 11 mil coraçõezinhos,
Vou dobrar o número até que se recordem…
Eu CRIANÇA moro aqui!
Entre o seu descaso, na falta de água, meu corpo tem sede,
Na falta de escola, meu saber me pergunta o porquê
Nos velórios constantes, tenho medo, tenho pavor,
Tenho amor, para torcer que não aconteça comigo.

Vejo suas construções gigantes vazias,
E eu apertadinho nos barracos, nas abas da Santa Luzia,
Vejo seus restos, só aumentando…
Brinco no seu lixo,
A mim chega a ser um luxo.

Não me negues o brincar, nele eu realmente existo!
Em essência do que sou.
Criança!!
A cidade que você demoniza, eu moro aqui!
A pele que você rejeita, protege meus ossos!
Não construa cadeias, eu preciso de escolas,
Preciso de mais postos de saúde do que mais postos policiais…

Eu não sou um problema social,
Temos um problema!
Se não reconheces a minha infância,
Não reconheces a minha humanidade, o meu tempo de ser.
Se segues construindo cidades, relações, políticas
E não me considera, não me prioriza, me violenta!

Não silencio, não deixo de inventar
A imaginação habita minha alma
Me ensina a magia do riso, do canto e assovia para mim…

“Criança e Adolescente são prioridade no Estado Brasileiro”!
Permitam-me lembrar: brincar é um Direito a todas as crianças,
Brincar é renovar e semear a esperança, dia das crianças é todo dia.
Que cidade você tem oferecido à infância??


Baixe o Mapa do Brincar em uma resolução maior.

Turma da Agência Voz da Quebrada.


Veja algumas imagens do processo de construção do MAPA:

Habilidades

, , , ,

Postado em

31 de outubro de 2017

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest